sábado, 2 de janeiro de 2010

Mudança


   Esse clima de mudança de ano faz a gente lembrar o passado e planejar, ainda que só em teoria, o futuro. E nessa de lembrar o que passou, andei lendo umas coisas antigas aqui do blog, ou outras que aqui não estão, mas guardo como acervo, e confesso que fiquei surpreendido. Antes eu era do concreto, do real, do que fazia sentido. Da crônica, da crítica, do protesto social. E agora, tudo que escrevo é mais lúdico, mais poético, mais abstrato. Eu, que sempre fui do reclamar abertamente, me vi falando tudo nas entrelinhas. Ainda não sei como isso foi acontecer, nem qual momento exato do acontecido, e muito menos se isso é bom ou ruim. Ou eu me achei, ou eu me perdi. Ou nada disso, talvez eu só tenha mudado.


3 comentários:

oton disse...

Se essa mudança foi boa ou ruim depende do que você quer passar com seus textos. Se você quer impressionar os leitores e fazer viajar, essa escrita subjetiva, com palavras mais bem colocadas, mais poéticas faz bem o trabalho.

Ou se você quer, mostrar opinião, ser entendido, fazer todos que leêm pensar algo que não tinham parado pra pensar, deve realmente começar esses questinonamentos.

Aliás, reconhecer é o primeiro passo.

E uma coisa mais, eu acho que a colocação subjetiva dos argumentos se dá quando não se tem muita certeza do que está se escrevendo. Isso não é uma coisa necessariamente ruim, até por que eu duvido que os maiores poetas tinham total compreensão dos seus sentimentos quando escreviam, eles só sentiam, e enjaulavam aquilo nas palavras.

Meu conselho é que reflita mesmo que para fora, com amigos, ou conosco (ora bolas, já está fazendo) mas enfim, tomara que você se encontre.

Giulia Carvalho disse...

\o/

Emanuella disse...

acabei de comentar isso no post passado, dessa mudança de seus textos! Pare de achar que estar sempre perdido, você esta otimo nesse aprofundamento sentimental !