domingo, 31 de janeiro de 2010

Tudo que eu quero

Tem horas que sou grande
E aí tudo que toco é um pouco eu.
Porque de tão grande que estou,
vou me dividindo em todas as pequenas coisas que encosto.

Tem horas que sou pequeno
E aí tudo meu é miudo.
Porque de tão pequeno que estou,
mal quase apareço.

Mas tem horas que não sou nada.
Nem grande, nem pequeno,
Sou assim, coisa alguma.
E nessas horas é que costumo ser tudo que eu quero.

2 comentários:

JCabral disse...

Um dia em busca de alguma coisa decente pra ler , achei o revolutear e sim me apaixonei , adcionei nos favoritos e lia sempre que podia todos os posts , ate que hoje eu percebi que nunca tinha feito um comentario, então eis me aqui o comentario , admiro muito a forma que usa as palavras e quero sempre mais posts . abraços

Emanuella disse...

Adorei este, cada vez mais poetico.