domingo, 25 de novembro de 2007

Inclusão... já?

Venho, através desta, clamar a inclusão da Buceta em nosso vocabulário cotidiano. Essa tão bela parte do corpo feminino, tão perseguida, pervertida e fantasiada em nosso dia-a-dia, não possui em seu vocábulo uma representação digna. Explico-me.

Para cada um dos palavrões para genitália masculina, existe um outro, de igual peso e tamanho, para a sua contraparte feminina. Ou seja, se de um lado temos “caralho” do outro temos “buceta”. Da mesma forma, se de um lado temos “piroca”, que não é exatamente um palavrão, do outro temos “xereca” que também não é exatamente um palavrão. Seguindo o mesmo raciocínio, temos o pirú para a xoxota, o pênis para a vagina, o pinto para a periquita e assim por diante. Todos eles têm uma ordem clara e não falada de sentidos e tamanhos pré estabelecidos inexplicavelmente em nossas cabeças: o caralho vai na buceta, a piroca vai na xereca, o pirú (ou pau, a lei não é clara nesse quesito) vai na xoxota (ou xota, dependendo se você usou o pau ou o pirú para adentrá-la) e, para ocasiões mais formais, o pênis penetra a vagina. Isso fica ainda mais claro se tentarmos inverter a mão desse relacionamento: um caralho visivelmente arrombaria uma xereca, da mesma forma que uma reles piroca ficaria sobrando na imensidão de uma buceta de respeito. Uma vagina ficaria ruborizada frente a um robusto pirú, tanto quanto um pênis estaria deveras deslocado na jovialidade brincalhona de uma xoxota. (O leitor mais pervertido pode, ainda, levantar a seguinte questão à tona: “E a trolha? aonde vai?”. Muito simples: no cú).

Mas aonde eu quero chegar com essa putaria toda? Aqui: ora, se temos uma nomenclatura equivalente para ambas as partes, com o mesmo grau de variedade, porque apenas os nomes para a estrovenga masculina são bradados em profusão? Ou você nunca reparou que os “caralhos” são usados como vírgulas para pontuar exclamações e as “bucetas”, quando surgem, interrompem conversas, estabelecem o mal estar e chamam indevida atenção para seu locutor? A “buceta”, coitada, é tão mal dita, que, enquanto o “caralho” pode ser utilizado para descrever situações favoráveis ou desfavoráveis, a nossa heroína só tem acesso a este último. Desta forma, quando damos uma topada, podemos dizer tanto “caralho, dei uma topada” quanto “ai, que buceta, bati com o pé”. Porém, podemos dizer “caralho, consegui o emprego!”, mas não podemos nunca dizer “buceta, ganhei na loteria!”

O mais estranho é que as próprias mulheres (ou pelo menos a maioria) colaboram para esse estado de marginalização vocabular de suas partes íntimas. Evitam, a todo custo, nomear a sua buceta, sua xoxota, sua xereca, ou até mesmo a sua vagina em uma conversa em voz alta. Inventam palavras novas, apontam, dão voltas e voltas, mas não falam. Usam, ao invés, termos como “lá embaixo”, “ali”, “na perseguida”. Uma vergonha. Literalmente.

Os homens, por outro lado, estão sempre bradando suas partes íntimas desde cedo, o que leva a um alto grau de familiarização dessas palavras em qualquer ouvido.Esse é um comportamento machista que deve ser combatido. Ou, ao menos, contrabalanceado. Você mulher, que concorda comigo e se sente oprimida nesse injusto mundo dos homens, deveria nomear a sua buceta com mais freqüência e acertividade. Afinal, ela existe, está aí, e merece participar das suas conversas (ou, pelo menos, das minhas). Portanto não tenha medo. Se imponha. Se estabeleça. Ou então volte pra casa com a perereca entre as pernas. ( Fernando Caruso )


ps: Esse é pro Leonardo!

5 comentários:

Léo disse...

boooooa pretoooou..
obrigado pela homenagem, fiquei mesmo emocionado..
vlw, brigadão mesmo.
abraço e toca esse blog pra frene..
vamu ki vamu..

Larissa disse...

Que isso..?!!!Muito bom esse texto,não é de sua autoria mas poderia ser com certeza.
Acabei de ler alguns outros dos seus e estou encantada com sua maturidade na escrita(não sei como você é nos outroos campos...),quem lê até pensa que você é um desses intelecuais cheios de pose por ai(o que tem muito por aí)...mas a verdade é que você é um jovem brilhante.Tanto que tem até texto incluido na prova de porugues da escola!
Não precisa se sacudir porque você pode!
Apartir de hoje vou fazer propaganda do seu blog pra geral...Quero que todos venham a admirar o futuro jornalista Yke Leon!!!!

pati_arka disse...

Po essa palavra é muito FEIAAAA! O texto é ótimo... não nego, argumentos ótimos tbm... mas essa palavra continua sendo feia demais para entrar no vocabulário! hahahahaha

beijooooooooos

Filipe disse...

Caralho!

Stella disse...

Divertidíssimo!!!
Puxa, achei o tempo todo que era vc escrevendo! É a sua cara!!

ahuauhauhuha, ai, ai , adorei, inclusive me lembrou um vídeo...vou te passar por msn!
beijos!