segunda-feira, 20 de abril de 2009

O amor pelas letras.

Tem um tempão que não venho aqui no blog. Na verdade, historicamente falando, um mês não é lá um tempão, é só uma minúscula fagulha no fogaréu do tempo. Profundezas à parte, aos que me acompanham, ou melhor, as três pessoas - no máximo - que mantém certa assiduidade neste blog, peço desculpas pela minha ausência.
Na verdade, não era eu quem tinha que vir pedir desculpas, é a escrita. De uns tempos pra cá, ela simplesmente sumiu. A vontade, o gosto e o saco pra escrever, que me são recorrentes desde que me entendo por gente, resolveu me abandonar por um tempo. Logo eu, que sempre fui um menino das letras, não conseguia me fixar na frente do computador nem por alguns minutos pra escrever nada. Não que não saísse, mas eu simplesmente não tinha saco de continuar.
A algum tempo, escrever era o que eu mais gostava de fazer. Aliás, desde muito tempo, escrever era um dos meus maiores prazeres. Mas agora, eu não sei. A pouco tempo eu li uma coluna da Martha Medeiros em que ela diz que essa vida de escrita deixa a gente meio robô mesmo e que raras eram as crônicas que mexiam com ela. Se ela bem lembrava, a última que mexeu com ela foi lá pra meados de dois mil e poucos.
Agora fui eu quem cheguei nessa crise. O que eu escrevo anda mexendo menos comigo do que fazia antes, fazendo com que eu pense se isso que eu sempre fiz é mesmo o que eu gosto de fazer. Tem uma frase do John Powell que diz: “Mas, se eu lhe disser quem sou, você pode não gostar de quem sou, e isso é tudo que eu tenho.”
Pois bem, se escrever não for o que eu gosto de fazer, eu não tenho mais nada pra fazer, pois isso é tudo que eu sempre fiz.

3 comentários:

Emanuella disse...

Fico feliz que tenha voltado, eu senti falta mais cedo hoje quando passei por aqui e nao vi nada de novo, foi meio que um vazio...Bom acredito que isso e coisa de momento, fase, mais se nao for se acaso vc tiver outro dom tao bom quanto esse de escrever sera tão formidavel e talentoso que nem vc ja e com as letras!Ah esse texto ficou otimo,ele deixou no ar um reflexão de tudo que achamos que somos ou não...

um graande beijo! (:

Larissa F. disse...

Ykezito! Tava dando um olhada aqui no seu blog e, cara, você é muito bom! haha Tô com saudades! Vem pra PUC ser meu calouro que você tem um futuro maravilhoso pela frente [É claro que, você terá um futuro maravilhoso em qualquer lugar, mas tenho que fazer propaganda da minha universidade. hahaha]! Beijos!

oton disse...

eu acho assim, no inicio agente pensa algo legal e escreve e se espanta: "nossa, ficou foda!"
mas com o tempo fica sendo só pensar no papel( ou na tela).
alias, como algo que ja está claro na sua cabeça vai mecher com vc?
Meche sim, e espero que continue mechendo pelo menos na minha. Eu sei que eu não sou um dos 3 assiduos que voce mencionou, mas eu passo aqui de vez em quando e não são poucas as vezes que me agrado em ler o que escreve. até a proxima.