sábado, 29 de dezembro de 2007

Eu, o Natal, a agenda... Ah! Feliz Ano Novo!

Ando devendo pra esse blog. Aliás, analisando assim com mais calma, ando devendo muito pra esse blog. Mas eu acho que tudo que ele já me deu, não tem como se devolver. Por exemplo, a satisfação de ver um post pronto e fazendo sucesso. Ou então quando você descobre que tem leitores em lugares que você nem imagina!
E vos escrevo no dia de hoje, nesse clima de fim de ano, sobre – adivinhem? – o Natal.
Aliás, sobre o Natal, eu queria me poupar até de escrever, pois o meu foi um fiasco. Ta, nem tanto, talvez um meio fiasco ou um quarto de fiasco... mas que teve um ‘Q’ de fiasco, teve.
Ceia fartíssima, família toda reunida, aquela coisa. Perguntarão: - Ora, mas e por quê fiasco? Vou explicar... Vivemos numa sociedade capitalista e não tem porque eu ficar de hipocrisia e omitir que o legal do Natal são os presentes. Ninguém diz, passa pela árvore e finge que não liga e que nem está curioso pra saber o que tem lá, e que, aguarda até meia noite com um sorriso de orelha a orelha. Eu sei que vão me martirizar por isso, então vou ser mais humano. Tem quem realmente não se importe com presentes e que goste do Natal só porque vai ver a família toda reunida e aquele BLABLABLA todo que vocês cansam de saber e ler nos blogs por aí.
Então, voltando a minha ceia...
De um lado da sala, uns parentes meio embebedados já fora da mesa da ceia, reunidos em volta do rádio, ouvindo um especial do Roberto Carlos que passava na MPB fm. Do outro lado, o resto da parentada afoita, rindo, conversando e aguardando o nascimento do pupilo Jesus.
Eis que chega meia noite!
Todos se aglomeram em volta da árvore e o primo menor faz o papel de Papai Noel mirim e simula um amigo oculto para entregar os presentes. A cada “- esse aqui é pra uma pessoa muito legal...” eu achava que era comigo. Esperei, esperei, esperei... Todo mundo com pomposos sacos cheios de presente e eu, com as mãos na bandeja de frutas, comendo uvas para disfarçar o vazio que existia entre os meus braços. Já estava no fim e eu não tinha ganhado nada! Até que chegou a hora, e finalmente aquele saco amarelo, brilhante e vistoso era para mim. Vou abrindo cheio de esperança imaginando que isso possa ter sido uma pegadinha do destino, e que esse pequeno saco vai suprir a ausência de todos os outros que eu não recebi. Aos poucos vou desenrolando o laço, o saco do presente e imaginando tudo que possa caber ali. Curiosos? Não fiquem. A gente se comporta o ano inteiro, escreve cartinha pro Papai Noel e ganha no fim do ano uma agenda. Isso aí, meu presente de Natal foi uma agenda com um adesivo escrito ‘Jesus te ama’.
Ham... Quem ama cuida. Ou bloqueia. Mas não presenteia com uma agenda gospel!


4 comentários:

filipe disse...

hahahahah caramba heim!!!! ta tranquilo eu nao ganhei nada!!! natal pra mim é só a ceia...epoca de comiga gostosa nda alem disso...grande abraço!

Emanuella disse...

Então é essa a famosa agenda que você ganhou?!haha
só você mesmo,a deixa pra lá, no proximo quem sabe você não ganha um monte hein??!!haha

beeeijão ;*

Anônimo disse...

necessario verificar:)

Diva disse...

Fiquei com uma peninha de vc agora, sou mãe e jamais daria uma agenda para meu filho! Fiquei curiosa, quem te deu a agenda?