sábado, 15 de janeiro de 2011

Entre a gente vivia um Pessoa

Já tive memórias de que nunca mais lembrei
Mas jamais me esquecerei dela naquela noite.
Seu sorriso brilhava o céu,
e, enquanto ela falava,
eu me ia prendendo no quadriculado de sua roupa.
Do choro foi-se ao riso.
E riu até esquecer porque chorava.
Poucas coisas me são tão certeza
quanto esta que lhes vou contar:
Ela é linda quando lê Fernando Pessoa.

5 comentários:

Yan disse...

Lindo poeta, um final tão particular que dificil de entender completamente, mas é bom que dá asas a imaginação... Essa imaginação pensa que ela deve gostar de ler Pessoa tanto quanto ler Leon.

Parabéns por mais esse lindo texto Yke. Forte Abraço.

Anônimo disse...

lindo esse, nao sei pq, mas lindo!

Anônimo disse...

Yke Pessoa!

Anônimo disse...

Yke Pessoa!!

larissa disse...

uau yke!