segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Isso também passa

É tudo sem importância.
­As coisas todas!
Me entristeço
Pensando nisso

­Quase tudo
­Não vale o esforço
­É pequeno demais
Para a vida

­Não vale a raiva
­Nem o rancor
­Não vale a mágoa
­Nem a dor

O que vale disso tudo
E sobra mesmo no final
É o amor que se tem
muito mais que o carnal

5 comentários:

Rafael Monteiro disse...

Não vou dizer que sempre fui fã dos seus textos, você mesmo ja sabe disso, mas de uns 5 textos pra cá você mudou haha.. até tinha me perguntado o que eu havia achado, porque nunca tinha escrito nada sobre isso, e pelo visto gostou..
Muito bom viu, parabéns, e ainda dou uma ênfase maior ao texto anterior "Agora não mais", que eu me identifiquei com algo não que aconteceu comigo, mas que acontece no momento..
Alguém de certo apareceu em sua vida para você mudar desse jeito. Ainda vou descobrir quem foi essa pessoa que mexeu, e ainda mexe, contigo.

Abraços,

Monteirinho

Emanuella disse...

Não te reconheço mais...! A sensação está sempre acima de uma possivel tradução real.

Clara Melo disse...

É tudo efêmero, por isso mesmo é tudo válido.
Não desperdiço nem me desfaço de nenhuma emoção.
Nem mesmo a dor, nem mesmo a raiva
Curto ao máximo minha finitude sentimental, seja qual for a sensação.

Clara Melo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gabriela disse...

Esse foi totalmente romântico e eu me apaixonei, que maravilhoso ! Parabéns, sério ! Você, por incrével que pareça, ainda consegue se superar ! Adorei :)