quarta-feira, 23 de março de 2011

Amada

Torno minha vontade a vontade dele
E me deixo levar pela sua melodia
A voz doce com que fala em meu ouvido
Enquanto me puxa quando vou embora

Comigo ele é assim.
Doce,
Quando me digere devagar.

Ele tem o dom
de embalar todo o meu corpo
Meu desejo e minha vontade
Com a sutileza de quem respira baixo
Para não acordar

Ele me cria feito semente
E me deixa nascer por inteira ali
No canto
fértil
Da sua boca

2 comentários: