sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Tudo que sai

Tudo que sai de mim te confunde
O que digo é o laço que tropeça tuas pernas
Tudo que sai de mim te confunde
O que faço é o nó preso na tua garganta
Tudo que sai de mim te confunde
Mas tudo que vem de você me esclarece
Como o céu a quem cabe admirar estrelas

Quero te estudar para sempre
Me graduar em você, quem sabe até me pós-doutorar
Entender como funciona
A matemática do seu pensamento
Analisar as variações químicas do seu humor
A geografia do seu corpo
A história da sua vida

Tudo que sai de mim te confunde
Mas é sempre tão claro o que deixas de ti
Que me entrego inteiro a esse problema
só pra ter o prazer de buscar todo dia
o X da sua questão

4 comentários:

Clara Melo disse...

que romântico, tá apaixonado?

George Luis disse...

Adorei! Não fique só nas crônicas. Seu talento vai além!

Emanuella disse...

sublime !!

Gabriela disse...

maravilhoso ! sua junção de sentimentos, sensações e matérias ficou incrível !