quinta-feira, 26 de novembro de 2009

"8 estórias"

Não vivia para o amor, vivia para amar. Se apaixonava, se entregava e acabava sozinho. Até que um dia usou a coragem não só pra dizer adeus, mas pra falar o que sentia de verdade. Escreveu uma carta que foi endereçada a cada uma das mulheres que ele já havia se apaixonado: Giovana, Laura, Claudia, Sofia, Luna, Ruana e até para Carmem, que ele tanto mentiu e nem sabia se o endereço estava certo.
“Com você me sentia sozinho. Com você não sabia esperar. Em todas procurava o futuro que nenhuma poderia me dar.”
E quem vive para amar, não sentia o amor. E todo amor esquecido foi acumulando-se dentro de si, ficando cada vez maior, até que se tornou grande o suficiente a ponto dele poder ver. E quando viu o quanto seria capaz com o amor, teve medo e fugiu.
Terminou dizendo: “E todo amor que dentro de mim pode haver, rouba e usa só pra você. Agora, não preciso mais dele.”


( Sob influência total influência de “8 estórias” )

2 comentários:

Clara disse...

Sou um pouco assim, eu acho.

Emanuella disse...

Essa musica e otima, adoreei, vc esta cada vez melhor heein ! Clarinha ate se identificou ! ahaha