quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Não basta ser culto...

Eu acredito que uma das melhores coisas para se ter na vida é o conhecimento. E claro que apesar de singular, essa palavra é 'multisignificativa', ou seja, não falo desse ou daquele conhecimento, mas sim, de saber quanto mais se pode de quanto mais se deve.
A tendência natural é quanto mais profundo você vai se tornando, mais você naturalmente vai se afastando daquele senso-comum ( ainda tem hífen? ) que ronda a sociedade. E quanto mais nos sentimos diferentes do meio, tendemos a ficar cada vez mais rudes e arrogantes com aqueles que não conseguem alcançar o mesmo nível intelectual que nós julgamos ter. O problema está aí! Não basta ser culto e ser babaca. Não basta saber falar sobre qualquer assunto, mas ser pré-potente ( com ou sem hífen? ) com aqueles que não sabem. Eu acho que esse é o verdadeiro desafio. Quanto mais sábio o sujeito se torna, mais ele tem que se policiar pra não ser deselegante com os outros. Ninguém tem a obrigação de saber ou de gostar de aprender tanto quanto você. O mesmo vale para aqueles que acham que sinônimo de sabedoria é se isolar no alto da montanha pra refletir sobre a vida. Sócrates dizia que o sábio só é sábio quando compartilha o conhecimento, portanto, de nada vale você saber muito e isolar o que você sabe da sociedade. Tem uma frase do Guimarães Rosa, extraída do Grande Sertão Veredas, que diz que 'mestre não é aquele que sempre ensina, mas sim, aquele de repente aprende'. Portanto, ninguém é suficientemente inteligente que não seja passível de aprendizado. Ninguém.

4 comentários:

Eduardo Araújo disse...

Muito boa postagem Yke, realmente, muito bem escrito, e mais importante que isso, com muito significado.
"Não basta ser culto e ser babaca. Não basta saber falar sobre qualquer assunto, mas ser pré-potente (com ou sem hífen?) com aqueles que não sabem."
“Não basta ser culto e ser babaca”. É claro que não? Num é óbvio? Não adianta ter toda essa cultura e ser rendido pelo moleque que não sabe de ‘nada’. A violência também pode ser muito cientifica, muito estratégica, que julga comportamentos, de maneira fria e calculista. Quando as coisas apertam mesmo uma “criança” pode aprender isso tudo com uma arma na mão.
Isso acontece o tempo todo, eu já fui amigo dos 'playboys' que vão com carrinho do pai pra boate 'curtir', já fui amigo dos 'nerds' lá da tijuca que viviam na internet se isolando um dos outros, agora sou amigo do pessoal "sem cultura" aqui de campo grande (isso porque é assim que sempre ouço falar deles, geralmente pelas pessoas que não os conhecem).

A “Cultura” esta em todos os lugares, em todas as pessoas, de todas as formas, não adianta sancionar -- o que é bom, e o que não é. E não adianta de porra nenhuma, se você que já viu um monte de coisas, já leu um monte de livros, e já escutou um monte de musicas, mas se não consegue se comunicar com o “funkeiro” que acorda todo dia na mesma realidade. Do que vai servir os livros e as musicas? Do que serve o “Shakespeare” na hora do “Perdeu! Perdeu!”?

O “Conhecimento” em si, é adquirido no cotidiano. “Sócrates dizia que” (...) “Tem uma frase do Guimarães Rosa, extraída do Grande Sertão Veredas, que diz”, é claro que nenhum de nós jamais falou com Sócrates, e eu só posso achar que você nunca falou com esse tal Guimarães Rosa (que eu mesmo nem nunca ouvi falar). Se você parar pra pensar, tudo que agente ‘conhece’ veio de uma outra pessoa, foi numa revista que você leu –- ou num livro, de repente viu num filme, ou ouviu o vizinho falando e resolveu pesquisar, ou até mesmo cruzou por acaso navegando na internet e achou interessante. Não adianta, o conhecimento existe em todos os lugares, em todas as pessoas, de todas as formas, também.

Mas enfim, minha mente divaga, grande postagem Yke, 10/10.

Emanuella disse...

Nossa excelente esse texto,uma leve abertura de um 'eu' interior ai heein! Fui péssima quando entrei no eco blog fui logo no primeiro post, nem vi esse, como assim né?!Bom agora estou certinha. =)

Delymar disse...

Olá Yke!
Que bom, poderei te acompanhar por aqui.
Sou sua fã!
beijos

Ricardo Paes disse...

Por indicação de meu sobrinho Leo Figueiredo, comecei a ler teus textos e virei assíduo. Qualquer dia trocaremos figurinhas ao vivo! Por ora, visite os meus: http://nefelibyte.blogspot.com e http://rpaes62.wordpress.com

Forte abraço!