sábado, 9 de agosto de 2008

George Denis Patrick Carlin

É engraçado essa capacidade que a gente tem de sentir alguma coisa por alguma coisa que nem conhecemos. [ perdoe a redundância ]
Saudade de um lugar que nunca foi, de uma pessoa que nunca conheceu e por aí vai.
Tempos desse me descobri assim, saudoso, de um cara que nem conheci. Uma ajuda da Wikipedia pra explicar pra vocês quem é ele:
George Denis Patrick Carlin (Nova Iorque, 12 de maio de 1937 — 22 de junho de 2008) foi um comediante, ator e autor norte-americano, pioneiro, com Lenny Bruce, no humor de crítica social. A sua mais polémica rotina chamava-se "Sete Palavras que não se podem dizer em Televisão", o que lhe causou, durante os anos setenta, vários dissabores, acabando preso em inúmeras vezes que levou o texto a palco.
Até meados da década de 1960, Carlin manteve uma imagem tradicional, com fato e cabelo curto. Depois, ao escrever novo ato, decidiu deixar crescer o cabelo e a barba, tornando-se um ícone da contracultura. Crítico acérrimo das religiões, ateu convicto, principalmente do sentido da culpa e do controle social, defendia valores seculares.
Aplaudido por vários colegas, como Lewis Black, tido como seu sucessor, George Carlin chegou ainda a participar em vários filmes e séries de TV. Dublou ainda filmes de animação, como Carros e outros.
Morreu em um hospital de Los Angeles de parada cardíaca, depois de, nos últimos 20 anos, ter passado já por um enfarte e duas cirurgias ao coração. Sobrevive-lhe a sua segunda mulher e sua filha.
Eu costumo admirar as pessoas pelo que elas levam dentro de si. Não tem nada mais fascinante do que gente com conteúdo, com conhecimento e com humor. George Carlin morreu, mas não se foi só. Deixou um punhado de admiradores pelo mundo que nunca, mesmo, terão a oportunidade de conversar com ele.
Nota: Menos uma pessoa bacana no mundo. Porque Deus não leva quem não presta?

2 comentários:

Emanuella disse...

Esse cara parecia ser fantastico.É realmente Deus no tamanho da sua redundancia so leva gente nada haver, que nem devia conhecer a morte tao cedo! :)

beeijoos ;*

Eduardo Araújo disse...

Esse cara mexeu mesmo com você hein? E dai que você não conheceu o cara, faria alguma diferença? Pelo que eu vi naquele vídeo que você me mandou ele ta pouco se fudendo... Haha... E a respeito da nota na ultima linha; em primeiro lugar: porque "Deus" não existe, e em segundo: quem seria esse decidindo quem é bom o suficiente pra continuar vivendo e quem não é? Você? "Deus"? Uma votação talvez? Haha...